Seguidores

sábado, 7 de janeiro de 2012




CAVALO DE GUERRA
Tinha que ser Spielberg. Quem mais saberia nos passar tantas emoções e ao mesmo tempo  transmitir tanta filosofia de vida num filme tão simples: um menino e um cavalo.
A grande vantagem das obras de arte é que passa para cada  um, uma mensagem  e  tira desta obra  sua própria conclusão.
Para mim, passou uma mensagem de esperança,ratificou o meu horror à guerra, e uma apologia ao entendimento entre seres criados pela   natureza , mesmo de espécies diferentes.
Apesar dos horrores da 1ª  Grande Guerra,o diretor nos passou uma mensagem de otimismo ,de solidariedade – magnífico aquele diálogo entre o soldado inglês e o alemão,vindos de trincheiras diferentes e unidos para salvar um cavalo- e  de esperança na bondade humana hoje parece tão escondida entre os mais mesquinhos interesses e guerras  de conquistas.
Por outro lado reforçou a crença no poder e na força do pensamento, na conquista dos sonhos,na lealdade e na compreensão.
Grandes seres humanos brotaram de todo aquele horror; seres mesquinhos se amesquinharam ainda mais,porém,faz parte;é no contraponto entre o joio e o trigo que aprendemos a dar valor ao trigo.

O belo cavalo Joey é emblemático; primeiro ,é usado para nos mostrar a dura vida dos  camponeses  antes da guerra,seja na França,Alemanha ou Inglaterra,onde cada pequena vitória é arrancada aos dentes da derrota.Depois, mostrará como os ideais da cavalaria e das guerras românticas,cede lugar   aos conflitos mecanizados que marcaram o início do sec.XX.
E, então pensamos,nós e Joey,o cavalo inteligente; como é possível aos governos criarem um inferno para que  os cidadãos que os elegeram se jogue nele,mesmo contra a vontade.Esses valores de pátria ,patriotismo – o último refúgio dos canalhas,já disse alguém – morre  na frase lapidar que Steven coloca na boca do velho avô francês:
-Pátria é a  casa da gente!

Não quero contar aqui a estória do filme para não tirar o prazer e a emoção do leitor ,possível espectador.
Eu, uma velha senhora sentimental que já lutou muitas guerras,inclusive consigo mesma e amealhou algumas vitórias, encharquei três lenços durante o desenrolar do filme. Verdade que eram lenços de papel,mas,quando a bela cena final terminou,tive vontade de ligar para Steve .Existe uma consagração maior?





Rogéria Gomes e as grandes damas biografadas

BIOGRAFIAS E PERFIS
A MESA – REDONDA  DA U.B.E
Num excelente trabalho que demandou muita força e coragem,Carlos Souza,da União Brasileira de Escritores,seção Bahia, reuniu ,ontem à tarde ,no Teatro Eva Hertz,na Livraria Cultura,SH. Salvador, dois escritores  de repercussão nacional, Cássio Cavalcanti,autor de “A Musa dos Trópicos”,biografia de Nara Leão e a jornalista e escritora Rogéria Gomes,que escreveu “As Grandes Damas,um perfil do teatro brasileiro”,obra monumental para quem gosta de teatro e quer entender melhor esse  entretenimento tão importante e, infelizmente,ora esquecido nas terras brasileiras.
Com uma apresentação excelente,demonstrando conhecimento e  interagindo muito bem com o seleto público presente,a autora encantou a todos.
A biografia da Nara Leão já é um sucesso editorial, graças ao excelente  trabalho  feito pelo autor,que viaja divulgando o livro pelo Brasil.

Ambos ressaltaram a importância de não se deixar levar pelo coração ou pela admiração pelo biografado e ater-se aos fatos,narrando-os,sem interferir neles.


Dois autores baianos completaram a mesa, Cristina Ramos e o jornalista Biaggio Talento esse com seu livro “Edison Carneiro”,já esgotado.
Os autores Cássio e Rogéria  falaram sobre sua trajetória literária e sua luta,uma constante no Brasil,para publicar e divulgar seus livros.
É, porque,não sendo um escritor gov.com,onde o contribuinte brasileiro paga pelos livros,através dos nossos suados impostos ou não tendo marido rico,a coisa fica difícil –eu que o diga – não só para publicar pagando o livro,como,principalmente,para divulgá-lo.
O debate foi excelente e eu aconselho aos amantes da cultura e da boa literatura a não perderem os próximos  que,certamente virão,graças  ao trabalho do nosso querido e respeitado Carlos Souza.

Não se enganem,a U.B.E baiana veio para ficar.Melhor os autores começarem a se filiar para não ficar de fora de um movimento abrangente,de nível nacional e que já existe há mais de 50 anos.



“O VERSO É O INVERSO DA TRISTEZA”
                   Miriam Sales,escritora



ATENÇÃO PAPAIS: COMO EDUCAR SEU FILHO EM 8 LIÇÕES
                                 VALEU?
SEU PRESENTE PARA O "DIA DO LEITOR"


PALAVRAS CARINHOSAS:
Oi querida,
Vc é mesmo uma pessoa muito especial e bonita, a 'olhos vistos'!
Vi seu blog e gostei muito, obrigada pelo carinho e pela deferencia a mim e ao meu trabalho.

Fico no aguardo das perguntas para nossa entrevista, sera maravilhoso estar no seu blog, tão bacana e com conteúdo excelente.
Parabéns pela ideia, pelo trabalho e por sua dedicação a literatura, que tanto precisa de gente como você.
Assim q ler o meu livro, aguardarei ansiosa seus comentários.
Super bj da
Rogéria











17 comentários:

  1. Muitas ideias e pensamentos em um só post!! Gostei!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga um post absolutamente excelente.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  3. Quanta coisa boa para se ler e ver e a competência cinematográfica do Spielberg.
    Abração, Miriam e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  4. Uma boa dica do filme amiga.Boas paresentações de livros e ainda mais esta reflexão da dificuldade de editar e divulgar um livro eu lhe acompanhei e vi como voce se virou e vira para divulgar.
    Coisas de nosso Brasil.
    Um abração carinhoso.
    Bju.

    ResponderExcluir
  5. Gisa,qdo eu digo q/ o blog é um jornal moderno,n/ exagero.Tem q/ ter humor,notícias,variedade.
    Comecei este às 8.30 da manhã acabei perto do meio dia.
    Mas,é o que gosto,fazer o que?
    E,adoro comentários.rssÉ o salário do escritor. bjs

    ResponderExcluir
  6. Maria,não perca o filme; e,leve lenços,viu?rss beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Tunin,vc q/ adora cavalos não perca o filme. bjks

    ResponderExcluir
  8. Pois é,amigo velho,vc conhece nossa luta.Se gostar de teatro - vc que adora ler - recomendo o livro da Rogéria.
    São depoimentos das grandes damas do nosso teatro. bjks

    ResponderExcluir
  9. Ok, Miriam. Estou atento.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Muy buenas recomendaciones Miriam! Muchas gracias, un abrazo,

    ResponderExcluir
  11. Gracias por su visita,Papámba.Venga cuando quieras. Un grande abrazo

    ResponderExcluir
  12. Ótima dica, pois Spielberg sempre acerta.
    Um tio de minha mãe dizia que eu era parecida com a Nara Leão quando adolescente. Minha mãe discordava. rs
    Beijocas, amiga!!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Pelo menos,vc tem o mesmo carisma que era próprio dela. bjs

    ResponderExcluir
  14. Olah d. Mirian,

    Obrigada pela indicacao, vou levar lencos...
    E vou me lembrar da senhora.

    Gostei de conhecer a "galera" que vem aqui.
    : )

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Oh.menina,que prazer tê-la aqui.Vc é dona de um excelente blog.Aposto q/ a galera vai gostar. bjs

    ResponderExcluir
  16. Parabéns Miriam pelo seu trabalho nos blogs!
    Vim retribuir a gentileza de sua visita e de seu comentário!
    bjs Sandra Portugal
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir